Chapter 2012 – Act 01, Page 12

Ao longe vejo o Sol brilhando nesta manhã de Verão, me pergunto por quanto mais tempo se prolongará nosso Verão. Agradeço aos Deuses todas as manhãs pelo Sol, Vento, Chuva, Terra e Vida. Estalos os dedos para voltar dos devaneios que minha mente iniciou, é como se eu visse o mundo e não pudesse enxergá-lo, sensação estranha, mas bem real.

Sinto a energia vibrante dessa linda manhã irradiar meu ser, e estou disposto a doar meu corpo para fazer parte deste delicioso jogo de fluxos que a Terra faz com a Água. É sensacional sentir todo o poder da Grande Mãe em sinergia total conosco, e ter a certeza de que a vida flui tão linear quanto o rio de volta para o mar. Ser um filho natural é magnifico, porém temos que nos ater aos detalhes do mundo moderno.

Escrevo enquanto distraio minha mente da labuta. No mundo de hoje não podemos apenas nos servir de frutas frescas, pois não conseguimos colhê-las do pé, não podemos seguir apenas nossos propósitos, temos que trabalhar por propósitos alheios. Temos que gerar dinheiro para que nós mesmos sobrevivamos. Sou grato a isso, e sirvo à Deusa alegremente, sem me importar com conceitos impostos por homens, que afirmam que devemos adorar suas obras erguidas pelas mãos humanas, como posso me refugiar num templo desenvolvido pelo homem, sendo que minha real conexão com o mundo está numa simples pedra em repouso na terra fértil.

Meus olhos se perdem novamente olhando o lindo caminho de árvores que ficam em frente minha janela, meus pensamentos se vão para longe do controle da razão, e quando meu dou por mim estou, novamente, parado contemplando a grandeza e perfeição, com pensamentos perdidos e soltos ao vento.

Eis então que o Sol começa a se esconder atrás dos altos prédios, e o caminho começa a ficar escuro, porém protegido pelas frondosas árvores. Agora é a hora de partir, e todos os dias esse momento chega, em alguns dias se tarda a chegar e noutros chega mais rápido que o próprio vento. Temos que compreender que é chegada a hora da renovação do mais um ciclo.

Penso em como deve ser a passagem do tempo para alguns, pois eu tenho uma concepção de tempo diferente da tua, e tu também tens a concepção de tempo diferente de estar à sua frente, lado, atrás ou em qualquer outro lugar. Não somos iguais, e nem devemos ser, porém não podemos nos esquecer que no fundo partilhamos de um mesmo princípio, assim como a luz e a sombra.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s