Chapter 2012 – Act 01, Page 19

Dia insano, noite estranha, meu ser se revolta contra minha sanidade. Não consigo ordenar meus pensamentos de maneira correta, é como se gritasse com raiva e ódio dentro de mim. Suplico aos deuses que me ajudem e me deem forças para prosseguir em segurança, mesmo que me privem de alguns privilégios que os mortais comuns se vangloriam de ter.

Todo gira, mas nada parece sair do lugar nessa estranha atmosfera de descontentamento. A energia desta nova casa é algo realmente estranho, ela suga nosso ser como se fosse para nós fazermos parte de uma estrutura forte e segura, porém não se torna realmente forte para ser segura por muito tempo, apenas se mantém roubando energias. Felizes aqueles como eu, que conseguem renovar suas energias quando necessário, entregando-me à natureza de corpo e alma.

Sei que há muito venho falando sobre a Mãe e seus feitos para comigo, porém sinto que é necessária essa transparência de sentimentos, é como se ela estivesse querendo dizer algo por entre as linhas que ainda não consegui decifrar. Não sou um lunático pagão, e muito menos te diferencio se assim pensar, afinal não faz importância o que tu pensas a meu respeito. Sei também que talvez nada possa ser, além de um rapaz insano que tem vislumbres de atitudes impensadas.

Meu corpo se inquieta e tudo se mostra quente, como se realmente estivesse um calor febril. Minha respiração torna-se amistosa à sensação de conforto quando o ar frio me é direcionado, tenho certeza de que talvez possa eu acalmar meus ânimos tendo novamente a mente resfriada e tranquilizada para não mais pensar em tantos problemas. Minha cabeça é muito pequena para armazenar tantas informações ao mesmo tempo, às vezes sou obrigado a esquecer coisas mais simples como beber, comer e até mesmo ir ao dentista.

Preciso estabelecer uma meta em minha mente para que ela funcione corretamente, preciso que ela acompanhe com agilidade todos os avanços secretos do meu ser inquietante, que se movimenta sem nem mesmo eu saber para onde ele rumou. Sei que, talvez, para você possa parecer estranho que minha mente, corpo e alma não sejam uníssonos como tu és, cada parte de mim está viva e é pensante, ambas agem para si mesmas e para me manter íntegro e inteiro.

Por mais que, quase sempre, elas estejam em harmonia, algumas vezes elas se desequilibram e agem para que cada uma seja beneficiada. Muitas vezes isso dá certo, pois cada uma se dá o melhor que pode ter, e se fortalece, me fortalecendo como um todo, para que depois possam coexistir em harmonia novamente. Tudo flui como em um ciclo, aliás é um ciclo. Tudo nasce, vive e morre.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s