Chapter 2012 – Act 01, Page 20

Sinto a brisa passar fresca por meu rosto, eis que olho em volta e sinto o orvalho da manhã adentrar meu quarto e fazendo meu despertar quase inevitável. A manhã ainda é fria e o tempo nem sequer passou, ainda zonzo pelo êxtase dos sonhos, ergo-me e vou ao encontro da água fria que irá se aquecer aos poucos. Só então reparo que, finalmente estou acordado.

Hoje, acordei com saudade de grandes amigos, de verdadeiros amigos. Sei que passo a manhã pensando em como estariam aqueles que desejo bem. Meus pensamentos são distraídos quando com os cães vou passear, não é muito o que posso fazer para alegrar a vida triste dos meus filhos caninos, afinal não sou mais do que um mero espectador do espetáculo da vida, mas nesse caso, tenho o direito e o dever de fazer com que eles possam alegrar sua alma e exercitar o corpo. Passeio com meus pequenos, que quando sobre duas patas ficam são maiores do que eu. Logo chega o momento mais esperado do dia, o Almoço, necessito repor todas as energias gastas durante a noite a manhã. Porém, hoje é mais uma sexta-feira em minha vida, e como toda boa sexta-feira, meus almoços são marcados por caipirinhas.

A tarde mostra-se longa e desmotivadora, há um fluxo grande de jobs na agência, e isso é bem atípico para o começo do ano, onde todos estão contabilizando seus  lucros e perdas. O sono invade minha alma e deixa ainda mais nebulosa minha tarde, os olhos piscam frenéticamente e ardem com a claridade da sala. Meu cérebro se recusa a trabalhar, e minhas mãos se tornam moles.

É fácil entender toda essa preguiça, hoje é Sextra-feira. A alegria volta a invadir meu ser, quando os números marcam 18h, e sei que é hora de abandonar o barco por alguns dias, mesmo que sejam apenas dois. O tempo vai se tornando frio e chuvoso, mas nada mais apaga a alegria do meu ser, pois ei de encontrar amigos muito queridos e que não os vejo há algum tempo.

Não posso nem mesmo pensar no que o destino me reserva, hoje sinto que os bons fluxos se aproximam, e isso me anima muito. Sou como uma criança quando estou esperando por notícias, por mais que nem mesmo eu sabia que notícias são. Hoje o dia está atípico, não me sinto mais um mero funcionário do destino, que cumpre sua carga horária na vida, me sinto como um animal livre para correr nos campos floridos.

A noite se aproxima, e ao encontro de um velho amigo irei, sei que os deuses preparam uma boa fase esta noite, algo que não me será revelado tão cedo. E quando o Sol se faz presente no poente longínquo, sei que é hora de partir para alegrar-me ante a um dos meus mais caros amigos. E hoje, ele me traz uma surpresa, podemos dizer que a surpresa fora boa, que o presente poderá se tornar algo especial. Fiz hoje uma coisa que não faço, e de malte e cevada me servi.

A noite se aproximou rapidamente e a peregrinação começou, a busca por debaixo da terra, até a amada do meu caro amigo, e depois partimos ao encontro do desbravado grupo de homens e mulheres que iriam enfrentar milhões apenas com a voz, porém eles preferiram mostrar suas habilidades na casa dos herois das danças e festas. Eis que então ficamos parados por um momento decidindo para onde poderíamos partir, até que a luz se fez presente em nossa mente insone, nos levando para onde os deuses haviam nos mandando, para o Verde.

E por lá ficamos até altas horas da madrugada, desfrutando de todos os gerúndios que pudemos como conversando, bebendo, dançando, amando, cantando, falando e até gesticulando. Nossa noite fora de festa, festa a qual fazia tempo que não partilhava com um verdadeiro amigo, e tenho algo a declarar, faço real gosto e tenho a certeza que a Mãe também faz gosto, do amor de meu mais caro amigo, tendo ele uma moça tão espontânea e que se assimila a ele, como sendo sua alma re-encontrada. Ainda não sei como será o futuro deles, mas de uma coisa tenho certeza, se caminharem no rumo certo, serão muito felizes juntos e deverão aprende um com o outro.

Vejo o orvalho da manhã se desfazer aos poucos, enquanto caminhamos sem rumo numa das mais belas vias do mundo urbano de São Paulo, que a Paulista possa ser a mais bela e mais alternativa via de São Paulo por toda a eternidade! Sei que peço muito todas as manhãs, mas Mãe, se eu for digno de que me concedas todos os meus desejos, ser-lhe-ei grato novamente por todos os dias de minha vida.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s