Chapter 2012 – Act 01, Page 23

Acordo com a cabeça ainda latejando, meus olhos se demoram a abrir, e nada sinto senão a dor que assola minha mente, e me sinto como se estivesse com a famosa ressaca, porém nada de álcool ingeri durante sábado e domingo. Talvez seja a falta de sono que tenha provocado essa latente dor.

Escrevo em meu recinto de refúgio agora, a noite é fria, e isso já está se tornando muito comum neste verão. É estranho ver o tempo passando tão vagaroso e tão mudado, pode ser que o tempo se demora por ser esse um ano bissexto, porém não sei se devo crer nessa afirmação, nenhum outro ano passou tão vagaroso quanto este, talvez seja porque esse ano será o retorno dos filhos de cristal.

Enquanto escrevo, minha mente ainda lateja com sua pulsante dor aguda, que se manifesta de forma irregular, mobilizando-me, às vezes, como uma criança doentia em seu leito. Sim, já me mediquei para que a dor amenize, mas talvez ela tenha uma razão maior para se manifestar de forma tão intensa, e não consigo parar de pensar que é um penar de minha própria mente, pela fraqueza de pensamentos.

Desde que ouvi a ordem da mãe, não consigo parar de pensar nela, nada de álcool e nada de cortar o cabelo, até que Beltane se faça. Não sei quais são os desejos da mãe, mas como um bom filho e sacerdote de alma, a obedecerei e honrarei meu compromisso, não fiz meu juramento em vão. E por mais que eu esteja disposto a seguir esse propósito, algumas peripécias se fazem presente para que eu me torne um perjuro.

Sei que ainda tenho muito a aprender, mas sobre uma coisa tenho certeza, estou preparado para ter a visita da Mãe Negra há muito tempo, e nesse sábado quando ouvi a pergunta se estaria pronto para morrer, não hesitei em responder “Sim, estou pronto para morrer”. É estranho, mas parei para pensar que, por mais que as pessoas possam dizer que não, me sinto preparado para sair deste mundo, e anseio a cada dia que a Mãe Negra me chame a seu encontro.

O dia manteve-se nebuloso e chuvoso por toda sua extensão, e mesmo que isso desanime muitos, hoje não tive vontade nem mesmo de olhar ao redor para perceber o descontentamento dos demais por não ser agraciado pelo Sol quente, como cabe a um dia de Verão. Hoje, meu ser tornou-se impetuoso e até mesmo cruel, impaciente e frio, tendo que ser freado pela própria mãe. Não sei, mas meu dia hoje não é um dos melhores, é como se eu estivesse alheio ao mundo, não sentindo nem amor e nem dor, não tendo sentimento nem mesmo para apreciar as brumas que se estendem nesta noite.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s