Chapter 2012 – Act 02, Page 06

Augusta, graças a deus,

Graças a deus,

Entre você e a angélica

Eu encontrei a consolação

Que veio olhar por mim

E me deu a mão.

 

Augusta, que saudade,

Você era vaidosa,

Que saudade,

E gastava o meu dinheiro,

Que saudade,

Com roupas importadas

E outras bobagens.

 

Angélica, que maldade,

Você sempre me deu bolo,

Que maldade,

E até andava com a roupa,

Que maldade,

Cheirando a consultório médico,

Angélica.

 

Augusta, graças a deus,

Entre você e a angélica

Eu encontrei a consolação

Que veio olhar por mim

E me deu a mão.

Quando eu vi

Que o largo dos aflitos

Não era bastante largo

Pra caber minha aflição,

Eu fui morar na estação da luz,

Porque estava tudo escuro

Dentro do meu coração.

 

Augusta, Angélica e Consolação

Tom Zé

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s