Chapter 2012 – Act 02, Page 23

A noite se faz fria e externamente presente em meu ser, vos escrevo lembrando-me da sensação nostálgica do teu corpo no meu, de tua mão entrelaçada a minha enquanto ao mais limpo e natural enlace da natureza nos entregamos. É estranhamente deliciosa essa sensação, esse torpor saciado dessa sede sagaz de um fruto proibido. Não faz mais sentido nada que a sensatez possa ordenar, o sentido está na inconfidência do impensado, do não proferido, daquilo que se esconde atrás dos olhos curiosos, a alma se funde numa só e causa a sinergia que une nosso ser em apenas um no seio da grande mãe.

Nosso amor é apreciado no íntimo do seio da terra, prefiro acreditar que é algo que pode crescer tanto o quanto deve crescer e que és agraciado no seu natural. Prefiro crer e apostar nossas fichas nesta oportunidade, do que pender para o lado onde vemos as reais diferenças e obscuridade. Sim, estou disposto a mudar por você, disposição que nunca antes senti por nenhum outro que desposou meu leito, disposição que sinto a reciprocidade.

Estranho saber que o Saber em determinadas horas de muito não vale. Sei que posso ser tão grande quanto devo ser, e que posso ser tão forte quanto devo ser, mas também sei que não sou o melhor dentre os melhores, e que ainda estou aprendendo. Felicito-me em saber que ainda sou humano e não estou totalmente evoluído, pois ainda digo a verdade para aqueles que merecem ouvir, mas são incapazes de decifrar a verdade entre as linhas tortas de minha boca efêmera.

Que a verdade seja dita, sendo ela proferida por entre linhas ou claramente dita aos ventos que sopram soltos pelos campos floridos, onde as folhas caem no início do outono. As folhas já se soltam dos galhos e recobrem a terra fértil, todo o jugo da sociedade se forma de maneira disforme, e assola aqueles que se deslocam desavisados pelo caminho sem volta do negrume notório no silêncio da vida, que grita com clamor para que alguém lhe possa ajudar, mas nada podemos fazer se não quiserdes ajuda para iluminar teu caminho.

Para ti, apenas meu olhar piedoso posso voltar e os braços cruzados manter, apenas por minha presença a luz se faz presente em teu destino. Tenhais cuidado com o que desejas, pois se quiserdes que me eu me afaste de ti, assim serei obrigado a fazer, porém, a luz que projeto em teu caminho comigo partirá seguindo meu rumo e iluminando aqueles quais meus olhos pousarem. Tomes cuidado com tuas escolhas, pois a era da transformação se aproxima cada vez mais de nós, e o caminho que seguirdes agora, talvez será  o último que seguiras nesta simplória existência.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s