Chapter 2011 – Act 12, Page 12

Devaneios – 2011-12-12

O Sol brilha forte no céu azul, as nuvens desapareceram, o frio está longe, mas o âmago da solidão ainda se faz presente. O som dos meus passos largos em meio aos veículos velozes ecoa em minha mente insone, o brilho esplendoroso do Sol prejudica minha visão, o barulho ensurdecedor dos pensamentos alheios cala a minha mente. Não sei mais por onde andar, sem ter que ter os olhos escondidos.

É estranho ver como tudo acontece, e muitas vezes, muitas coisa acontecem por simples ironia do destino. Nada é por acaso. Me felicito com a ‘brincadeira’ que os deuses fazem, nos mostram o que precisamos ver, sentir, fazer e ouvir. Cabe a nós saber compreender a mensagem.

Sim, sei que não sou normal aos padrões convencionais, se estivéssemos na Era das Trevas, seria eu lançado à fogueira para me transformar em mais uma partícula pagã a manchar teu rosto com minhas cinzas.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s