Chapter 2013 – Act 07, Page 14

Se fosse em outros tempos, com toda certeza, ficaria muito irritado contigo, pensando “e se fosse ao contrário” ou “e se eu tivesse ido e tu não”, mas hoje, realmente percebo o quanto estou mudando. Me preocupei por não ter conseguido ir, e te avisar sobre, e fico feliz por saber que tu também não conseguiu ir, assim, não houveram desencontros. Acho que era para ter sido assim, não deveríamos ter assistido ao tributo à Piaf, infelizmente, pois queria muito ter ido.

Hoje, literalmente voltei às minhas origens, a festinha de ontem na casa do meu irmão, continuou no almoço de hoje, algo bem tranquilo e que nos permitiu maior entrosamento, fazia muito tempo que não passava um final de semana inteiro com o meu irmão, comendo, bebendo, jogando vídeo game, conversando sobre tudo, sobre a vida, um puxando a orelha do outro com assuntos pertinentes, e tudo que temos direito. Agradeço aos deuses por essa oportunidade, de me lembrar que os melhores momentos estão nas coisas mais simples da vida, nos momentos mais íntimos, mais fraternos e mais próprios.

E, para completar essa nostalgia, encontro uma grande e caro amigo no metrô, eu e o Allan estudamos juntos no terceiro ano do colégio, e parece que nos conhecemos desde sempre, de outras vidas, de outras histórias, lembro-me bem do tempo que ele era um bardo nórdico, e eu um sacerdote celta, e também do tempo que ele usava cartola, um bengala de prata, e um revolver na cintura, e eu longos vestidos vitorianos, lembro-me de noites ao luar, em um lago escuro e ciprestes à volta, lembro-me de inúmeras lembranças. Mas hoje, hoje lembro apenas de voltarmos às nossas origens e, sentarmos na rua, bebermos e conversarmos sobre tudo, sobra a vida, o tempo, evolução, espiritismo, magia e meditação, e tenho que agradecer novamente aos deuses por mais esse momento nostálgico, também gostaria que eles acompanhassem de perto o guri que está na rua, tentando sobreviver para comprar sua comida e suas drogas, e o guri que desacredita na própria vida e não mais encontra sentido para estar aqui. Sei que todos temos algum motivo para estar neste inferno particular que chamamos de Terra, mostre a eles a razão pela qual estão aqui.

O tempo voa e passa depressa, escorre por entre nossos dedos como areia, areia que por muito tempo fora represada num cilindro de vidro para contarmos as horas, jeito humano e mundano de controlar o tempo. O meu tempo é tão pessoal quanto o meu jeito de ser, não me prendo à horários e datas, pois sei que posso fazer meu próprio tempo, viver à minha maneira sem ter medo do que a sociedade irá dizer, afinal, sou senhor do meu corpo e mente, e minha mente é senhora do meu corpo, e meu corpo um dia retornará ao seio da grande mãe. Que um dia eu possa retornar essa energia física que acumulo, de volta à terra, e passar meus ensinamentos ao mundo, ensinar minha sobrinha a lidar com seus dons e com sua magia, ela será uma grande senhora se aprender no tempo certo a utilizar seus encantos, e que assim seja e assim se faça. Blessed be.