Chapter 2013 – Act 08, Page 10

Sábado, o dia mais esperado da semana. Hoje é gira de desenvolvimento no centro, e acordo já com a intuição de que hoje teremos o desenvolvimento ministrado pelos guias de esquerda, e como sei disso? Simples, acorde às 11 horas com o ponto de pomba gira em mente e uma vontade incontrolável de gargalhar assim que abre os olhos. Pois bem, hoje o dia será inteiro da moça de vermelho e preto, ela que estava esperando ansiosa por esse momento, me empurra para fora da cama, me faz beber um Toddy bem batido e sentar ao Sol, banhando-me em sua luz e recarregando as energias que vem da Terra. Agora é hora de me levantar, banhar-me e arrumar as coisas para atravessar a cidade e chegar no centro. E, no banho não poderia ser diferente, a influência dela é mais forte, ela me faz preparar um banho de flores com alecrim, e jogar da cabeça aos pés, ficando inteiramente perfumado de flores, com os cachos macios e perfumados, muito além do normal.

E não poderia ser diferente não é mesmo? Sapato azul de camurça, calça vermelha e camiseta cinza, levando na bolsa uma camisa xadrez vermelha, seu cigarro de cereja na bolsa e uma felicidade irradiante, mas quando saí à rua, se torna séria e soberana, olhar superior, rosto sério e com um misto de ar esnobe. É hora de me preparar para abrir os trabalhos, já inteiramente de branco, me alongo, respiro e me concentro, tudo está escuro no plano espiritual, não há a luz habitual, o espaço que representa o centro está acinzentado, confesso que sinto um certo desespero e o início de um medo, respiro fundo novamente e clamo à deusa mãe, e ela fala suave em minha mente que “Ela é o escuro da noite e a mais densa sombra, não há porque eu temer as sombras, se eu sou parte dela, se eu sou ela. Sou eu o senhor das sombras e da luz”.

Primeiramente, saúdo a vinda do meu exu trabalhador, ele que vem na sua força e que me conta seus mistérios, ficamos por um bom tempo conversando sobre algumas coisas, ele me revela meu ponto pessoal e me ensina onde entraram novos símbolos e como usar o ponto. Como a dona moça fez uma limpeza completa do meu corpo durante o banho, ele apenas firma a energia e tira algumas negatividades que resistiram à água corrente. Ele saúda minha força e minha luz, me diz ainda mais algumas coisas e diz que agora é hora dele partir, mas estará por perto, pois nas sombras se escondem muitas coisas, ele ficará prostrado à minha esquerda e bem próximo, mas hoje o dia da minha guarda é dela.

E chega a hora que ela mais esperava, minha pomba gira é forte e senhora de si, ela fica à minha direita só observando, após a descida de todas pombas giras, ela desce. Sinto meu corpo inteiro tremer e se encher de energia, de força, de poder e magia, começo a ouvir sua saia rodada girando, e ela começa a rodopiar em meu corpo, saindo da terra e emergindo à superfície linda e irradiante. Sua gargalhada é inconfundível, e após tantos giros ela para, vejo sua saia vermelha e preta, toda rendada parar esvoaçante, ela olha em volta e sorri, gargalha e pede seu cigarro. Laroiê pomba gira. Ela pede que seu ponto toque e então começa a girar, girando, girando, girando pomba gira há de fazer seu trabalho de moça bonita, cigarro e cidra em mãos ela gira, gira, gira e gira. Montada na ponta dos pés, com uma mão na cintura e outra segurando a taça de cidra, ela começa a conversar comigo, mentalmente ela trás toda sua força para minha mente, me conta algumas coisas, me ensina outras, me dá alguns recados e disse que hoje a aquela que numa gira anterior a deixou irritada, que em breve essa senhora terá de enfrentá-la cara a cara. Sei de quem ela fala e agora o papo é com ela, enfim, ela é a senhora da gira não é mesmo minha rainha. É chegada a hora das moças que giram voltarem às suas posições, ela fica parada olhando a todas subirem, e então ela dá a última tragada em seu cigarro, o último gole em sua cidra, os firma no chão do terreiro, saúda o dono do terreiro e anuncia mentalmente pra ele que agora ela irá e levará com ela a energia disforme das outras, e então começa a girar e girar mais rápido, sinto ela fazer um redemoinho quase de fogo, e sugando toda a energia disforme que as outras deixaram, girando e girando, então para ereta e com a mão direita levantada. Bela e imponente. Laroiê pomba gira.

E agora é hora de testar a vaidade dos médiuns, que venham os exus mirins. Risonho, meio tímido e sapeca, meu pequeno erê da esquerda vem, pedindo doce e querendo brincar, mas tem que se contentar em fazer seus trabalhos com água, ele brinca e sorri, bebe a água muito a contra gosto e faz a limpeza final do meu corpo, ele sorri pra mim e fala que ele é minha parte mais feliz, a criança que eu deixo fluir e brincar por muitas vezes. Ele até que é educadinho por ser um exu mirim, mas também, com o dono do terreiro sendo quem é, até eu ficaria quieto se fosse criança travessa. É hora de se despedir e voltar pra cama, ou talvez voltar pro lado de lá e brincar e me acompanhar me protegendo e me auxiliando em algumas escolhas que só as crianças podem fazer. A gira termina e aprendi muito hoje, oras, para quem é apenas um jovem aprendiz de médium, que conhece as incríveis entidades de luz que trabalham com a luz do congar desde pequeno, tenho aprendido muito. É, sempre ei de me lembrar da vez em que os exus e as pombas giras me disseram que sou filho da esquerda, feito pra ele e por ela, há um motivo para eu ser assim, e hoje eu o compreendo muito bem.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s