Chapter 2013 – Act 08, Page 11

Cadê meu amor, que a noite chegou fazendo frio. Hoje me conforto no carinho e amor que sinto pela minha família, pelo carinho que sinto pelos meus tios avós Áurea e Waldemar. Passando este dia que talvez não tivesse nada para comemorar, mas tenho muito a comemorar nesta vida, cada dia deverá ser uma comemoração nova e feliz. Mas, vamos começar pelas coincidências do dia inteiro, acordo às oito horas da manhã pensando seu 14 horas, algo na minha cabeça me diz que chegarei na casa da minha tia às 14, volto a dormir, acordo mais tarde e fico conversando com meu mais caro amigo, resolvo então partir para a casa da minha tia e eis que chego impreterivelmente às 14 horas. Em conversa com o Allan, ambos compartilhamos os sonhos estranhos, lembro-me de resgatar minha prima dos braços de Janaína no mar bravio e escuro, e descubro à noite que ela estava na casa dos meus avós, no litoral. Ele, por sua vez, me conta seu sonho, disse que a mãe dele reclamava de alguma presença na casa, e quando descemos para o café, a mãe dele comentou que sentiu uma presença ruim na casa. Coincidências? Para mim não, o dia passou e fiquei reflexivo, fui ao refúgio da família, ao encontro de uma das minhas guardiãs, minha querida tia avó.

Volto pra casa pensativo e reflexivo sobre o ocorrido da noite/manhã, começo a lembrar do povo cigano tentando me contar algo, algo que não consegui compreender, a cigana protetora não se aproximava, mas estava aflita e com receio de algo pior. Ciganos com ciganos se entendem, e a minha me fez o favor de ir à aldeia daquela para conversar, e por intermédio dela agora compreendo o que se passa. Essa briga não é minha? Sim, essa batalha faz parte da minha guerra, não ei de me omitir em nenhum momento, nunca o fiz e não será agora que o farei. Sinto a ira daquele que pretende prejudicar as pessoas, mas agora ele mexera com a pessoa errada, e não será a primeira vez que nos enfrentaremos, lembro-me que anos atrás ele tentara me expulsar da casa, mas não conseguia chegar perto de mim, hoje compreendo que ele não chega perto devido aos meus protetores, que não os mais amigáveis. Tenho bem a quem puxar neste ponto, meu humor às vezes é influenciado pela energia deles, me deixando mais atento e sério. Há um marco hoje, um marco que posso ver, sentir e até tocar. Enquanto escrevo, vejo o que está acontecendo e é como uma cena de filme, vejo tudo por um ângulo privilegiado, os 6 vêm de longe num raio que enche o ar de luz, 4 ficam em guarda, um é teu protetor pessoal, e outro vai a caça de uma sombra, que a captura e a leva.

Essa noite será longa, mas a noite humana é curta, e de que me importa, o que vale é te ajudar. Felicito-me por tê-lo feito acreditar na sua força, que é grande e crer mais ainda nos teus guardiões, que são belos e fortes, com o olhar misto de sedução e algoz, que só o povo do fogo e raio possuem. Os conheço desde os tempos da ilha do dragão, e sei que vocês fazem parte da corja deste encarnado, e me felicita em saber que retornaram por amor a um velho amigo e companheiro. E, peço-lhes que se façam presentes, almejo que cada um de vocês protejam aqueles que estão afoitos e sendo influenciados, vocês conseguem ver através de qualquer artimanha nefasta, o protejam.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s