Chapter 2013 – Act 08, Page 20

A mesma rotina de sempre, oculta da face pelos olhos alheios e a tabulação desmedida de um sociedade que ignora seus moradores sujos e descabelados, que dormem duros sobre calçadas podres e fétidas, os olhares estão mudos e as bocas estão secas, na medida que a noite cai tudo escure e a podridão fica oculta daqueles que fingem não observar a realidade cruel dos mortos vivos que estão subsistindo cansados na amargura e fel doce e amargo da cachaça inglória que bebem para suportar o frio e a dor, o frio e o calor da morte.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s