Chapter 2013 – Act 09, Page 29

Bem, por onde começar a falar sobre a experiência incrível que tive hoje? Sinceramente ainda não sei, mas ei de tentar ordenar os pensamentos para conseguir desenvolver a ideia de forma clara e sucinta. Estou simplesmente encantado pelo “Xirê”, que, na minha humilde concepção, é a saudação aos orixás mais linda que já vi na vida, e também a mais demorada, fiquei em pé assistindo a saudação aos orixás e sentindo suas forças por cerca de 2 horas e 30 minutos. Hoje foi a festa de Cosme e Damião em um centro de Candomblé, festa da qual fui convidado por um guri que conheci, um tarólogo que desenvolve seu projeto na região de Santo André. A festa foi linda, a força dos erês é sempre uma coisas incrível e sem igual, mas crianças são crianças em qualquer parte do mundo e em qualquer religião. O que mais me fascinou hoje foi a liberdade que os orixás e até mesmo os guias possuem para vir à terra e trazes suas energias, todos os meus orixás me saudaram com sua presença e força durante o Xirê, todos vieram ao meu lado e se apresentaram, suas forças e energias, a alegria me contagiou, eles vinham felizes e livres, sem limitação de tempo e com muito espaço para correr e dançar, muitos espaço para mostrarem suas forças e sua beleza, e a força mais encantadora de todas foi a vinda da minha mãe Yemanjá. A vi nitidamente ‘surfando’ nas ondas do seu mar calmo, e aterrissando na areia com total beleza, sua força me dominou por completo e eu tive que me segurar para não dar passagem à deusa nesse momento, sua beleza é estonteante, sua doçura é sem igual, e sua força é a coisa mais forte que já senti na vida, no misto de raiva e cólera, com amor e compreensão, é literalmente a efusão de sentimentos em um caldeirão que não para de ferver. Sua força é completa e totalmente única, sua liberdade é totalmente diferente de onde venho, lugar no qual eles possuem um tempo limitado e não podem dançar e mostrar sua força, local no qual eles vêm apenas para abençoar e emprestar suas energias e forças para trabalharmos, é apenas um trabalho e não uma saudação a eles.

É, posso concluir que o Candomblé é realmente o sentido da palavra (em tradução livre do dialeto africano, Candomblé quer dizer Dança Ritual), pois a liberdade que os deuses possuem para dançar e expandir suas energias no local é muito gratificante. Aqui eles trazem consigo toda a felicidade que possuem na vida, potencializando ainda mais as forças dos médiuns e a sua própria energia, meus próprios orixás se apresentaram mais felizes, minha mãe veio com total alegria, como a quem retorna pra casa, como aquela que reencontra um filho. Minha mãe ficou muito feliz por eu ter vindo e sentido sua força, pois agora sim eu conheço uma parcela real da sua força e energia, sei até onde posso ir com teus ensinamentos e estou bem cuidado com a minha senhora pomba gira. É isso, uma experiência surpreendentemente gratificante no terreiro de Candomblé, com todas suas cores e texturas, aromas e sabores, e o mais importante, a LIBERDADE aos orixás e trabalhadores.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s