Chapter 2013 – Act 10, Page 06

Sei que ainda vou voltar, e não será em vão todos os meus planos. Talvez eu me arrependa de algumas atitudes que tomei, de algumas palavras que disse, talvez ainda diga algumas verdades ou então um adeus, e quem sabe ei de fazer de tudo e todos uma bela lembrança e deixá-la esvair-se no tempo, manchando cada parte dessa tela com as lágrimas que rolarem dos rostos murchos que me cercam com olhares vergonhosos. Vou traçar no tempo o meu próprio caminho para manter no vento a liberdade de ser somente eu, ei de firmar o limite dessa conexão, é estranho mais meu ser é alimentado apenas com lembranças boas que me ocorreram há quase um ano, e onde está a “Vida Nova”, vida essa que ainda não desfrutei dos prazeres dela, nem carnais e muito menos intelectuais. Há cerca de um ano houve alguém que marcou essa vida, mas esse alguém não é um alguém como o Tiago, impressionante isso, mas ainda hoje sou capaz de sentir seu toque e, às vezes, o sinto chegar no quarto, com seu perfume amadeirado, e seu toque firme e delicado. E as lembranças se esvaem como fumaça da minha mente, e num piscar de olhos penso no presente e sei que de nada adiantará reviver lembranças, os momentos passaram e foram maravilhosos, mas a vida nos ensina a amar e a sofrer por amor, nos ensina também a esquecer os pontos negativos e lembrar somente do sorriso, e faz questão de reafirmar a distância que existe entre São Paulo e Amsterdam.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s