Chapter 2013 – Act 10, Page 16

E se você se sentisse seguro nos braços de alguém? Se esse alguém fosse eu, meus braços o envolveriam sempre. Posso ouvir um grito de amor, e outro de dor ao longe, e de quem seriam esses gritos, será que foram sussurros, ou mesmo espasmos silenciosos de uma noite esperançosa, mas esperançosa para quem, para aqueles que vivem sujos a espera de um novo amante, ou aqueles que vivem mortos por estarem perdidos na escura solidão de suas almas desgraçadas por suas escolhas fracas. Sentindo a felicidade como se fosse algo bem e saudável, mas a saúde pertence a quem, aos políticos corruptos que preferem matar a sociedade no lugar de lhes prover ambientes decentes com profissionais competentes para atendê-los de forma humana, ou será que pertence aos porcos e desesperados que necessitam de uma desgraça para você reparar que eles existem e que são sim são os humanos. Você pertence a quem, afinal de contas quando foi a última vez que andou pelas ruas da sua cidade e reparou que as calçadas estão destruídas e aquele senhor grisalho com sua bengala surrada mal pode andar sem tropeçar três vezes no mesmo desnível, para só então conseguir ir adiante, você pertence a quem mesmo? Certeza que pertences ao dinheiro, e não se iluda em pensar que o o dinheiro te pertence, ele pode levar até os mais sábios à loucura em apenas minutos. Por isso, guardo comigo a sabedoria da minha avó, “dê poder a alguém, e verás quem realmente ela é”.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s