Chapter 2013 – Act 11, Page 14

Sabe o que mais me irrita é eu ter que sempre o procurar, sério, ainda acabarei cedendo aos questionamentos de o porque ainda te namoro, e me deixarei partir disso. Estou começando a ficar cansado de nunca haver reciprocidade, sempre me achei muito introspecto, mas você me vence nesse quesito, pois é impressionante a forma como você não demonstra nada, nem que sim e nem que não, a forma como me magoo com seu descaso. Todos me perguntam se namoro, e digo que sim, e as pessoa se espantam de saber que tu não está ali comigo e elogiam sua segurança e confiança em mim, acham isso bonito, mas não sabem que nem mesmo quando nos programamos para fazer algo você não pode comparecer, e para mim soa apenas o como isso foi relevante para você, e que dentro de minutos já será esquecido. Isso tudo me cansa, é sério.

Prefiro escrever aqui e esvaziar a mente, pois sei que alguma parte minha gosta de ti meu caro paladino, mas o restante de mim já está na dúvida se realmente gosta ou se é apenas cômodo, e temo que a maior parte vencerá e trará luz à essa dúvida, acho que essa parte está à espera do inesperado para se justificar de algo que pretende fazer. Fico um pouco receoso disso, pois ainda sinto que a Mente e o Corpo travam uma batalha silenciosa para reassumirem o comando do Todo. Vejo todos os dias tudo que faço por nós, e sempre me pergunto depois o porque disso, mas não me arrependo do que faço, aliás, me arrependo daquilo que deixei de fazer. Me arrependo daquilo que deixei de fazer.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s