Chapter 2014 – Act 05, Page 11

Dia das Mães. Dizem que é hoje, mas tenho minhas dúvidas se realmente é. Será que é válido especificarmos um dia para agirmos com a mais lavada hipocrisia, alimentando aquele velho fantasma de que devemos ser puritanos e castos apenas uma vez ao ano. Gira, muda, troca essa frequência, sinta o vento de um tufão e peça perdão à sua mãe. Ou, tu podes fugir sem barulho e escapar pela janela, enquanto todos ouvem a um bolero, vá, dispa-se que lhe espero.

O mundo gira e tudo volta ao seu lugar, amanhã você será o mesmo. Não posso viver mais como há dez anos atrás, mas ainda assim posso ser o mesmo de antes, se eu me roubar de mim mesmo, pode encontrar meu caminho, e nele quero encontrar-te. E por favor, não mude mais isso.

Mãe, desculpa-me? Para mim, tudo pode ser saudade, mas hoje não sei mais o que pode ser. Talvez tudo se perca em uma larga rua, ou em um grande passeio. Tenho pouco tempo para passar contigo esse tempo. Quero te ter pra mim sempre mãe, eu que só sei te pedir tudo. Mas, sei que esse é meu destino ……

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s