Chapter 2014 – Act 06, Page 13

Agora que percebi que todos os posts desta semana estavam em rascunho. É o hábito de digitar no celular e usar o 3G péssimo da minha operadora para atualizar tudo do meu smartphone. É, acho que todos puderam perceber o quão irritado fique ontem, e ainda não consigo compreender como as pessoas se felicitam com o fato de que foram enganadas, humilhadas, ultrajadas e tudo mais. De como não conseguem perceber que a FIFA não pagará nenhum imposto ao Brasil, e ainda lucrará bilhões de dólares, sem contar os bilhões de dólares que o pais investiu nos estádios, com obras superfaturadas.
Mas, prometi a mim mesmo que hoje não mais me irritaria com tal assunto, preciso de um tempo para mim também. E o encontrei ontem a noite, melhor dizendo, na madrugada de hoje. Após assistir o filme Malificent, que é um filme fantástico e a Jolie está de parabéns pelo desempenho no papel, resolvi sucumbir ao mundo gay virtual, traduzindo, resolvi criar um perfil no Tinder e também no Grindr.
Podem julgar e especular, não ligarei para isso. As vezes me assemelho à uma “vadia”, segundo os termos sociais, mas ainda tenho esperança de haja alguém que não queria apenas sexo nessas redes, mas se quiserem apenas sexo, não vejo problema algum em ter apenas sexo com eles. Não levanto nenhuma bandeira de moralismo, ainda mais esses baratos que apontam o dedo na face dos outros e os recriminam, mas no escuro da sociedade, fazem pior.
Há pessoas interessantes, por exemplo, não sabia que perto de casa morava um guri lindo, com visão de futuro e ideologias interessantes, e também amante de filosofia. Nessas redes não há apenas corpos sem cérebro, há cérebros sem corpos, e também, pessoas completas. Ainda não sei em qual das três categorias me enquadro, tenho um cérebro que não é la essas coisas, um corpo fatigado pelos anos de ballet, um coração anestesiado pelas experiências anteriores, e uma enorme capacidade de me adaptar aos momentos. Decida você mesmo em qual categoria me colocaria. Ah, acho que sou melhor com as palavras do que com pessoas.
Bem, enquanto o locutor da estação tenta transmitir uma informação em inglês, vou caminhando pela plataforma da Sé, seguindo para conseguir embarcar para a estação Anhangabau. Será que eu deveria subir no posto da SSO, e ajudar o locutor a dizer “passangers”? Melhor não.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s