Chapter 2014 – Act 08, Page 20

Tu é relativo. Nada é concreto, e isso se concretizou quando eu descobri que o concreto, famoso por sua rigidez e fixação, na verdade, não é sólido e está em constante movimento, segundo o ponto de vista da física. Sempre que me pego pensando nessas coisas tão lógicas, me pergunto se eu realmente deveria pensar nisso. Confesso que não tenho muito interesse em números, mas eles são essenciais para a vida, mesmo que subjetivos nas contagens mentais. Ah, como parar de pensar e desencadear esses pensamentos quando iniciados? Como pensar em tudo, quando não há nada para pensar?
Por favor vida, dê-me outra oportunidade, mas desta vez sejais um pouco mais legal comigo. Se eu pensar pelo ângulo que sempre analiso as coisas, vejo que não tenho do que reclamar, afinal de contas, tudo podia ser pior do que está hoje. Não quero parar para pensar nisso agora, aliás não quero pensar em nada agora, exceto no meu banho de imersão, que não terei essa noite pois há alguns anos já não tenho mais banheira no meu quarto, aliás, não tenho mais um quarto só meu, muito menos um quarto com banheiro. Dinheiro possibilita muitas coisas boas na vida, alguns luxos que julgo essenciais, e até mesmo … Já não lembro mais o que iria dizer.
Vejo casais se amando, observo a aura ao seu redor, vejo a diluição dos sentimentos e a solidificação das almas. Mas nada disso é concreto. Paro novamente para pensar que nada disso é real e que tudo pode ser apenas uma ilusão minha, minha eterna utopia particular. Gostaria eu de viver na minha utopia sem danos externos, mas o nome que dão à utopia particular é autismo, ou esquizofrenia, ou qualquer outro nome que designam como doença. Doentes são aqueles que vivem como alguém os mandou viver, esses sim precisam de tratamento e experiências para curtir e aproveitar as delícias de um momento único, e também as oportunidades que sua própria utopia pode proporcionar. Quero voltar a viver como alguns anos atrás, e quando digo anos eu quero dizer séculos e até mesmo milênios. Mas aí olho para o hoje, e percebo que muito mudou, mas nem tudo está diferente. Creio que houve uma involução no homem, que agora pensa de maneira completamente diferente de antigamente, o homem de hoje segrega e exclui, enquanto o homem de antes incluía a todos dentro de suas próprias exclusões. E o que pensar da vida? Não sei, já não quero mais pensar por hoje, quero apenas descansar, nem que para isso eu tenha que fugir do mundo por uma noite. E assim o farei. Mãe, por favor, me chame de volta por hoje, preciso ver a água do lago novamente e sentir as brumas me envolverem por completo, preciso do contato mágico a essência da vida para compreender novamente minha existência.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s