Chapter 2015 – Act 10, Page 13

Tenho tanto a escrever, mas não sei se quero ou se devo. São tantas coisas. Tem o lance do Daniel fazer novo perfil no Tinder no dia 10/10, a mudança da minha mãe até o dia 24/10, o plantio das árvores no dia 11/10 que não fiz e só estive presente em corpo, e a execução fulgaz é efêmera de minha mente insone. Tantas coisas para pensar que me dá preguiça, náuseas, enjoo. Por falar em enjoo, vejo no Daniel os sinais que a Gi apresentava quando ficou bulímica, e isso me preocupa. Posso estar enganado, mas algo me diz que estou certo.

Tudo que mais quero agora é … Acho melhor editar essa parte é deixar ao critério do leitor, seja meu convidado e fantasie os desejos que poderia eu ter durante noite tão estranha. Enquanto isso vou suspirando descrente no ônibus, ainda sentindo a mudança da lua que me deixou mais apático e introspectivo, no caminho para casa vejo centenas de rostos quadrados passando pela janela, mas quando olho para os lados não vejo ninguém, lembro apenas do período que temos para viver o hoje. Quero sentir-me vivo, sei que não estou vivendo da forma como gostaria, a rotina está me matando e já não sei se quero continuar assim. É hora de fazer algo diferente, de pensar no novo, de virar a mesa e assumir o jogo. 

Chega. Nem só de palavras vive cá este poeta, ei de tirar algumas letras das páginas sujas e mostrar ao mundo o potencial de minha mente lúcida que dá voz ao “eu” escondido por detrás das camadas de tempo que acresci ao meu ser.  Acenderei as cores e verei o que se esconde no futuro incógnito. Não sei mais o que quero, só sei do que não gosto. Ultimamente tenho gostado de menos coisas, ultimamente tenho gostado de outras coisas, última que tenho deixado de lado algo que nunca deveria ter ido ao segundo plano, mente que não se sabe se é verbo ou substantivo. 

Chapter 2015 – Act 10, Page 09

Não sei o que sinto, mas sinto que o Daniel está um tanto quanto distante. Acho que ele ainda pensa que fiquei chateado por causa da segunda-feira. Não, não fiquei chateado por ele querer seu espaço, privacidade e tempo, isso é normal e aceitável. Acho que estou invadindo muito a rotina dele, e talvez isso o incomode. Gostaria que ele falasse mais sobre isso. Ah, confesso que fiquei um tanto quanto chateado por ele enrolar a dizer que queria ficar sozinho, sabendo que eu precisava terminar o meu TCC e ainda teria que ir para Santana. O fato dele ignorar isso, me deixou pensativo. Às vezes sinto que o Dan não se importa com o que sinto ou penso, mas às vezes tenho certeza de que ele se importa muito. 

Estamos prestes a comemorar três meses de namoro, e isso me felicita muito. Já penso em algumas coisas legais para fazermos, espero que o Dan tope ☺️ Gosto muito de estar com ele, mesmo com seu peculiar humor e vontade de se isolar de tudo e todos. Queria saber mais sobre ele, mas sinto que ele não quer que eu saiba. Enfim, sei que nada sei e é difícil afirmar que “penso e existo”. OMG, qual a possibilidade dele ler essa página? Provavelmente todas, e agora me sinto patético de ter escrito o que escrevi, pois nosso relacionamento se transforma numa via de mão única, na qual eu escrevo o que penso e sinto e ele lê e guarda para si, sem que eu saiba o que ele pensa e sente. Queria saber se ele está feliz. 

Agora sigo rumo à faculdade, ninguém merece ter orientação de TCC numa sexta-feira, após um dia hiper cansativo. O pior é que ainda terei que trabalhar durante a madrugada inteira para finalizar a minha pauta e amanhã conseguir almoçar com a minha mãe. É aniversário dela e eu nem comprei um presente, me sinto o pior filho por isso. Me sentindo péssimo. Ainda não decidi onde irei levá-la para almoçar, e ela também não ajuda. Estou pensando num arabae, mas sera?! “Sem Or”, o que fazer amanhã?

Acho que estou um tanto quanto depressivo ultimamente, o que é estranho e não faz sentindo nenhum nesse momento da minha vida. Tenho um namorado incrível (às vezes grosso, mas que me faz muito feliz), estou morando com o meu melhor amigo, ainda trabalhando (e mandando currículo para outras agências), feliz pela minha mãe ir morar com meu irmão, meu avô não está mais internado, e por aí vai … Mas algo me deixa inquieto, inseguro, não sei o que se passa, mas sinto que alguma estranha irá acontecer. Odeio sentir isso.

Sei que não posso mudar o comeco, mas posso fazer um final diferente, e é isso que ei de fazer. Me esforçarei para fazer um final diferente. 

Ok, agora tive a certeza de que o Dan se sente invadido quando vou à casa dele. Também tenho a certeza de que ele planeja muito mais coisas para fazer sozinho do que comigo, talvez ele não queria mais passar tanto tempo comigo nesses dias. Seria mais legal se ele conversasse mais comigo sobre o que ele sente. Enfim, sigo para casa com fome e pensando nas inúmeras coisas que tenho que fazer, cansei de levar essa vida. Quero os tempos dourados de volta. Apenas quero algo de volta. Quem sabe eu quero a minha autoestima. 

Chapter 2015 – Act 10, Page 01

Step by step. Clap your hands, look around and feel the life going way. 
Hoje eu queria que fosse lua cheia, só para poder cantar na areia em honra à mamãe.

Engraçado como o tempo passa e as emoções se transformam com esse passar. Pela manhã sentia necessidade de revigorar-me, agora pela noite, sinto a necessidade de dizer o quanto quero estar com o Dan. 

Queria escrever sobre o Dan, mas como sou o teu evangélico preferido, não sei se vale o registro de tantos sentimentos nesse livro que ele prefere chamar, em um sincretismo cristão, de bíblia. 

Queria dizer o quanto aprendi a lhe amar e compreender teu jeito estranho de lidar com as pessoas que gosta. Não posso julga-lo, pois também tenho uma forma estranha para demonstrar meu carinho pelas pessoas, e ainda mais estranha para lhe demonstrar meu amor.