Chapter 2015 – Act 11, Page 08

Há tantos anos não vinha à casa da Raissa. Vejo que nada mudou, nem mesmo a minha tia, tudo está como sempre foi, um pouco mais gasto, mas ainda assim igual. A garoa lá fora é a parte mais desanimadora de tudo isso, precisamos sair para tomar café, mas a preguiça fala mais alto. Vamos à padaria que serviu minha infância inteira e parte da minha adolescência, o sabor de perdeu com o tempo, o atendimento está péssimo, as coisas que já eram caras ficaram mais ainda, mas nada disso importa quando se está com a melhor prima do mundo e uma amiga, a Tamy. 

Nossas gordices nunca mais foram as mesmas, desistimos hoje da sorveteria e preferimos ir ao mercado comprar batatas, queijos e refrigerantes, teremos um final de tarde feliz, com comida gostosa, muita fofoca e amor. Há anos que não tenho um momento tão feliz e completo como esse, há anos que eu e a Rah não temos um dia de preguiça só nosso. Obrigado, prima. 

Já são 23 horas e eu ainda preciso atravessar a cidade para chegar em casa. Literalmente atravessar, sairei da zona sul e seguirei direto para a norte, sem escalas, mas desta vez com rumo. 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s