Chapter 2016 – Act 02, Page 10

Ainda extasiado por ter conhecido a pessoa mais incrível do ano, nesse carnaval. Fotze é um cara incrível que me conquistou, hipnotizou e me deixou atraído por ele num grau nunca antes experimentado por mim. Como um guri tão simples e com pensamentos tão incríveis conseguiu me cativar de tal forma? Ainda não sei a resposta.

Acordei cedo com a expectativa de fazer o melhor quibe vegano que já fiz na minha vida, e consegui. Minha motivação: levar comida para o Fotze na Ocupação Ouvidor 163. Preparo tudo e tomo meu banho para levar o rango pro guri, saio de casa por volta das 12h50 e sigo direto para lá. Por volta das 13h30 estou na porta da ocupação. 

Procuro por Fela, mais um apelido do Fotze, pois é assim que ele é conhecido na ocupação. Falo com o Mako e ele não sabe onde o guri está, me deixa subir até o décimo segundo andar, pelas escadas escuras e sujas, chego no andar e nada. Ou estão todos dormindo pesadamente, ou ninguém está em casa. Algo me diz para voltar às 16 horas.

Saio da ocupação e vou ao Little Rock, o meu café predileto que fica na avenida São Luís. Por mais que a minha última ida ao café tenha sido há muito tempo, a Mônica, que hoje é gerente, me reconheceu. Fico muito feliz em saber que sou uma pessoa memorável para alguns. Depois do café, vou para o edifício Martinelli, passar meu tempo como turista na cidade de São Paulo. A vista continua a mesma, mas o olhar está mudado. Já não mais me deslumbro com a amplitude da cidade, mas volto a lente aos detalhes mínimos do piso, abóbodas, janelas e elementos vazados. Focalizo até mesmo o meu passo, cada vez mais largo e esquio. Sou alvo de algumas lentes, as pessoas ainda não se acostumaram com homens usando saia. Meu kilt dança no ar, movimento digno de uma filmagem, o vento refresca minha virilha e ameniza o calor infernal que faz nessa cidade maravilhosa que é cheia de encantos, mas não é Rio de Janeiro.

Do topo do Martinelli penso em voar pela cidade, mas um salto fale me faria alcançar o chão em alguns segundos. Gostaria que o prédio fosse mais alto para os meus dias depressivos. Meu único pensamento hoje é: levar comida para o Fotze. 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s